Você se “morde de ciúmes”?

Você se “morde de ciúmes”?
Sentir ciúme de alguma coisa ou de alguém, é algo comum a todo ser humano.
No entanto, mesmo com um caráter jocoso a canção do Ultraje a Rigor fala
sobre os ciúmes de um homem apaixonado e deixa claro que, como em muitos
casos, essa emoção foge do controle.
E, realmente, não apenas a canção, mas a ciência também alega que esses
comportamentos ciumentos podem ser extremamente prejudiciais para o
indivíduo, já que se trata de um conjunto de emoções complexas que envolvem
reações físicas e comportamentais, além de pensamentos e emoções nocivas.
Mas como combater os ciúmes excessivos que a pessoa tem?
Como fizemos questão de ressaltar, quando falamos em ciúme, passamos a
abordar um tema que possui diversas camadas. Afinal, é bem possível uma
pessoa sentir ciúme de algo ou de alguém e isso não afetar em nada a sua
vida. Em outros casos, os ciúmes podem até haver prejudicado a pessoa, mas,
com um diálogo franco e muitas reflexões, foi possível encontrar uma solução.
Entretanto, existem aqueles casos em que as atitudes da pessoa ciumenta
acabam se transformando em algo perturbador, em uma pressão limitadora e,
muitas vezes, em uma paranoia Desse modo, quando a pessoa começa a
desenvolver certos distúrbios de ordem mental, tendo enorme dificuldade em
distinguir situações reais das próprias fantasias, chegamos a um ponto em que
a terapia se torna essencial.
Felizmente, a psicoterapia é observada por muitos estudiosos como uma das
formas mais eficiente de ser combater o chamado “ciúme patológico”, ou seja,
os ciúmes que já se transformaram em doença. Com o apoio de um
profissional da área, é possível reforçar a autoestima e aprender a valorizar a
própria imagem, alcançando resultados muito interessantes na jornada de
superação desses obstáculos.
Portanto, ciúmes são conjuntos de emoções complexas: dor, raiva,

START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH